segunda-feira, 30 de abril de 2012

BRT é apontado como solução para mobilidade urbana

Fonte: Canal do Ônibus/Gustavo Angimahtz, da Assessoria de Imprensa Ex Libiris.
Foto: Neobus/Marcopolo divulgação
Retirado do portal Mix Bus RN



O modal BRT – Bus Rapid Transit – foi apontado como o melhor exemplo para reduzir os congestionamentos nas grandes cidades e melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. A conclusão marcou o primeiro dia da edição brasileira do City Infrastructure Fórum, realizado no Hotel Renaissance, em São Paulo, entre 24 e 25 de abril. O objetivo do evento foi promover o diálogo entre as cidades, governos locais e nacionais, associações municipais, agências da ONU, agências multilaterais e o setor privado, para oferecer soluções de excelente custo-benefício que possam ser adotadas para os problemas de urbanização.

De acordo com o ITDP, Institute for Transportation and Development Policy, cuja representante, Helena Orenstein, mediou o painel “Congestionamento e controle de trânsito”, existem oito princípios de mobilidade sustentável para criar cidades mais sustentáveis, com menos emissões e com melhor qualidade de vida: andar a pé; usar a bicicleta; conectar as vias; transportar através de transporte coletivo; misturar moradia, cómércio, lazer e serviço; estabelecer correspondência entre a capacidade urbana e a capacidade do sistema de transporte; compactar as regiões; e promover mudanças. Como exemplo, foi citado o BRT implantado em Curitiba, pioneiro e modelo para a ONU e para cidades em todo o mundo.

No painel seguinte, “Como reduzir emissões e manter as pessoas em movimento”, Adalberto Maluf, diretor de cidades da C40 em São Paulo – rede das maiores cidades do mundo -, citou Michael Bloomberg, o prefeito de Nova Iorque, com a frase “you can only manage what you can measure” (“só é possível administrar o que se pode mensurar” na tradução livre para o português). Maluf salientou que “construir vias para desafogar o trânsito é como comprar calças mais largas para enfrentar a obesidade”. Para o especialista em transportes, a solução está no BRT corretamente implementado e funcionando com veículos elétricos – trólebus.

Para Daniela Facchini, da Embarq Brasil, a solução também reside no modal, seja com propulsão elétrica ou híbrida. Adalberto Maluf ainda acrescentou que o BRT é a melhor solução com relação a custo-benefício, acessibilidade, e não necessita de grandes subsídios. Após os painéis, Ieda Maria A. Oliveira, a gerente comercial da Eletra, empresa brasileira fabricante de trólebus e ônibus híbridos, explicou a tecnologia utilizada nesses veículos. Ieda ressaltou que corredores de ônibus no formato BRT, operando com energia limpa, são o “melhor jeito para transportar o maior número de pessoas, ocupando o menor espaço urbano com qualidade e sem poluir”. A empresa possui 38 veículos híbridos em operação no país

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Nosso Email para Contato